Informe Roraima

Atuação MSF em Roraima

Mais de 120 mil venezuelanos já entraram no Brasil pelo estado de Roraima desde 2017 e estima-se que metade permanece no país. Atualmente há cerca de quatro mil venezuelanos vivendo em abrigos em Roraima, que são geridos pelo governo federal, ACNUR e organizações da sociedade civil.

Desde 2017 MSF Brasil, com as equipes de Advocacy e BRAMU, vem monitorando a situação no estado de Roraima, tendo realizado também alguns assessments. Foram feitas, em dois momentos, doações de medicamentos e itens não alimentares (non-food itens, NFIs) para abrigos. Além disso, MSF teve um diálogo próximo com o Ministério da Saúde brasileiro para acompanhar a situação de saúde e inclusive apresentou uma proposta de apoio técnico ao MoH para o isolamento dos casos de sarampo e outras doenças infecciosas transmissíveis durante o primeiro surto de sarampo. Com o arrefecimento do surto e mudanças de pessoal no Ministério da Saúde (MoH), acabou-se não priorizando a proposta.

Em maio OCB realizou um novo assessment, com equipe composta pela Leen Lacroix, Paulo Reis e Guillermo Gutiérrez, que culminou em uma proposta de atuação pontual de MSF, principalmente com atividades de promoção de saúde, apoio técnico sobre doenças infecciosas transmissíveis e saúde mental. A Célula 5 de OCB fez então um comitê de projetos (COPRO) que aprovou um pequeno projeto, a princípio com duração de 3 meses. O projeto ainda não começou – OCB está em busca dos profissionais para as posições abertas. Enquanto isso os trâmites burocráticos para a sua abertura já vêm sendo feitos. MSF enviou carta aos principais atores atuando no estado (Ministério da Defesa, secretarias de saúde, organizações da sociedade civil) agradecendo a abertura que nos deram nesses assessments e informando que em breve iniciaremos atividades.

Esperamos ter mais novidades em breve!

By: Leticia Nolasco