Telescópio

12 à Mesa para o MTR – novo escritório

No dia 11 de Agosto deste ano, os 6 membros do Board estiveram reunidos com os 6 membros do Management Team (MT) para que pudéssemos rever as realizações do primeiro semestre e definir o que ainda se pretende realizar até o início do próximo ano.

Pela primeira vez em dois anos, o Board e o corpo diretivo do escritório (o Management Team - MT) reuniram-se com a presença da totalidade de seus representantes para o MTR (Mid Term Review). Estiveram presentes Julia Bartsch (presidente, eleita este ano), Ionara Rabelo (vice-presidente, eleita este ano), Ananda Melo King (1ª secretária, eleita este ano), Mauro Nunes (2º secretário), Tatiana Zanotti (1ª tesoureira) e Simone Rocha (2ª tesoureira) por parte do Board.Da parte do MT, estiveram presentes Susana de Deus (Diretora Geral), Deise Vieira (Dir. Recursos Humanos),  Ana Lemos (Dir. Comunicação), Flavia Tenenbaum (Dir. Captação de Recursos), Erwin Lloyd (Dir. BRAMU) e Antoine Prevallee (Dir. Finanças).

O Management Team Review (MTR) é um exercício que o escritório conduz em que avalia os resultados do primeiro semestre e faz as necessárias correções nas previsões, seja orçamentárias (que não podem passar o que já foi aprovado), seja operacionais. A Direção Geral conduz o exercício com o Management Team e por fim envia a narrativa ao Board para análise. O exercício culmina com uma reunião de todo o Board e o MT onde se apresentam e discutem os resultados. Esta reunião tem como objetivo observar se foi possível efetuar o que se havia proposto e em caso negativo, suas razões. Também se destaca o que foi feito além do planejado, em especial atividades não previstas que podem ter a ver com eventos que exijam uma resposta humanitária do movimento de MSF como um todo ou oportunidades de ações que possam agregar valor aos objetivos iniciais de cada departamento.

O Board, além de compartilhar suas próprias ações, é responsável por monitorar, validar e discutir as grandes propostas  a fim de garantir que estejamos todos alinhados com os princípios do movimento de MSF. A análise ou validação do Board prende-se portanto mais com os objetivos e resultados esperados e menos com a estratégia e execução desenhadas pelo executivo (o team do escritório).

Dado o espaço para falarmos de tanto que já vem sendo feito, destacamos aqui o apoio à Missão na Venezuela, que envolveu todo o escritório, em especial a componente de advocacy e do departamento médico.

Erwin Lloyd assumiu a direção da BRAMU no meio do primeiro semestre e, além de já ter feito visitas de monitoramento às regiões fronteiriças do lado brasileiro (das quais se resultou uma pequena intervenção onde se fez doações de itens não alimentares e artigos médicos de emergência para o abrigo de venezuelanos em Boa Vista e para a população de indígenas em situação de rua em Pacaraima), foi feita uma doação de medicamentos essenciais ao Posto de Saúde de Pacaraima. A ferramenta PAT usada pela BRAMU em várias missões de MSF vem tendo sucesso e  recebeu a aprovação do Comitê internacional de Ética de MSF, um grande avanço! Com isso, a implementação do PAT em diferentes cenários e por diferentes OCs aumentará. Já utilizada este ano no Quênia e na África do Sul, a equipe de epidemiologia e antropologia marcou sua primeira implementação fora da América Latina onde vem prestando apoio a missões de OCBA, OCB e OCG na Venezuela, México, Colômbia e Honduras.

Retomando a Venezuela, MSF-Brasil deu todo o suporte à logística necessária para o apoio à estrutura de um dos hospitais do lado brasileiro, para ser possível uma resposta adequada à demanda da população que busca refúgio do lado de cá.

A comunicação também recebeu uma nova Diretora, Ana Lemos. O Conexões MSF em Salvador foi o grande destaque para o departamento de Comunicação. Com 19 atividades gratuitas, incluindo a apresentação da Banda Escola Olodum e a exposição do filme “Affliction, O Ebola na África Ocidental” em 15 pontos da cidade, o evento atraiu 5230 pessoas. Um debate com Susana de Deus, Diretora Geral de MSF-Brasil, Bruno Rocha, expatriado de Salvador e Paulo Reis, com diversas experiências em projetos de ebola e outros, enriqueceram ainda mais a intervenção, contando com a mediação de Rita Batista, conhecida jornalista soteropolitana.  Mais sobre o evento e fotos podem ser encontrados em www.msf.org.br/conexoes/salvador.

Também há novidades para o departamento de RH. Deise Vieira assumiu a diretoria do departamento no final de junho e traz consigo décadas de experiência na área de RH. Já chega encontrando resultados que merecem destaque: só no primeiro semestre MSF-Brasil enviou para diversos projetos pelo mundo nada mais, nada menos que 93 expatriados! Ainda no primeiro semestre, a divulgação das atividades de MSF em seus projetos humanitários ganhou força com o Facebook Live. Em uma das sessões, o foco foi na captação de obstetrizes, formação relativamente nova em nosso país, mas que tem grande procura para nossos projetos. Em outra, falou-se sobre os critérios de recrutamento. A audiência total foi de quase 40 mil pessoas!

Quer ver ou rever os vídeos? Vá em www.facebook.com/pg/MedicosSemFronteiras/videos/?ref=page_internal

Apesar do momento econômico incerto em que vivemos no Brasil, a Captação de Recursos trouxe-nos resultados acima do previsto graças a quase 340 mil doadores, sendo que 83% são doadores regulares! Nosso muito obrigado a cada um deles. Dentre os diversos canais utilizados pela equipe de captação, destacamos a parceira com a Globosat, estendida até 2021. Quer ajudar a divulgar as formas de doar? Sabia quais são em www.msf.org.br/como-ajudar.

Para finalizar, nossos parabéns a todos que vem contribuindo para que as ações de MSF-Brasil aconteçam não só dentro das atividades propostas, mas também àquelas que nascem dentro do espírito de colaboração e crescimento da participação de MSF-Brasil no movimento MSF como um todo.

E vamos lá para mais um semestre e preparando-nos para 2018, já com mãos à obra de casa nova!

Julia Bartsch e Susana de Deus 

By: Leticia Nolasco